quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amor

Esses tempos, fiquei pensando no verdadeiro significado do que é amar uma pessoa. 
 Passei as últimas semanas, com alguém que eu nem sequer amava, que eu nem sequer ansiava. Aquele que amo não está comigo, e sinto dizer que esse tempo ainda não é o nosso tempo.
O problema, é que esse alguém do qual passei um tempo, me fazia bem, cuidava de mim. Eu poderia ter me encantado com o dia em que ele reparou que meus olhos eram castanhos e quando desenhou meus olhos com a ponto dos dedos. Poderia tê-lo amado e me encantado com todo esse sentimento.
Mas quando seu coração já é ocupado, fica díficil.
Quando sabemos que amamos uma pessoa, é quando não temos nenhum motivo para amá-la.
Por exemplo, quando estamos gostando, ou essa pessoa te faz bem e cuida de você, como foi meu caso. Quando temos uma paixão, a pessoa é bonita exteriormente ou trabalha em algo realmente espetacular, tornando esta mesma pessoa um tipo de perfeição.
Mas quando amamos, amamos até os defeitos. Quando essa pessoa é alguém comum a todas as outras pessoas, ou talvez até tenha alguma característica diferente, que nos faz amar. 
Quem eu amo, não está aqui e não sente o mesmo que eu.  Mas eu sei que o amo, porque é estagnado, não muda. Não aumenta nem diminui. É como se já fosse parte de mim, e muito embora eu tenha esse amor mais intenso para mim, que sou uma menina nova, sei que sei viver sem ele. ( a pessoa).
Porque todos nós sabemos viver sem a pessoa que amamos. Saímos, rimos, trabalhamos, estudamos nos divertimos.
Só que no final do dia, sempre vai faltar algo. E toda felicidade que você construir não vai ser completa. É assim que funciona, é assim que é.
Por isso, quando tentamos amar alguém quando na verdade já amamos, com certeza não vai dar certo. Não beije para esquecer seu amor, porque tenho uma informação para os viajantes de coração em coração, que acham que amar é cotidiano:
Só se ama uma vez na vida.